Ansiedade e coronavírus: 7 dicas para ficar bem na quarentena

ansiedade e coronavírus dicas para ficar bem

Para desacelerar a contaminação pelo novo coronavírus, as autoridades municipais e estaduais, o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde têm feito um apelo no sentido de que as pessoas permaneçam em casa e evitem deslocamentos desnecessários, ou seja, fiquem em quarentena voluntária.

Embora a possibilidade de ficar em casa seja um privilégio, visto que muitas pessoas exercem atividades essenciais e precisam sair às ruas para desempenhá-las, nem por isso o isolamento social é algo fácil de ser enfrentado. A mudança abrupta no cotidiano pode desencadear sintomas de ansiedade, e saber como amenizá-los nesse momento é um aprendizado importante.

Continuar lendo

Coronavírus: quais os sintomas e o que fazer se eles aparecerem

coronavírus sintomas

A Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, já é uma realidade entre nós. O vírus já circula pelo país e o nosso papel, agora, é tomar todos os cuidados para a prevenção e ficar atentos aos sintomas.

Como uma síndrome respiratória, a Covid-19 pode ser facilmente confundida com uma gripe. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, os sintomas mais comuns são febre, que pode ser alta, tosse, cansaço e dificuldade para respirar. Alguns pacientes também podem apresentar dores no corpo, congestão nasal, dor de garganta e até diarreia. Na maioria das pessoas, esses sintomas são leves e devem ser tratados em casa, para evitar a superlotação das unidades de saúde. 

Continuar lendo

Novo Coronavírus | Muita calma nessa hora

O que já era esperado aconteceu: o novo coronavírus chegou ao Brasil. A cada dia mais casos são identificados, especialmente nas grandes cidades. Ao olhar o noticiário na TV e as reações do mercado mundial à propagação do vírus, fica fácil entrar em pânico. As cenas dos gigantescos hospitais construídos em 10 dias na China ou das cidades isoladas na Itália ficarão na memória como um dos períodos mais tensos do ano, talvez da década. No entanto, médicos, pesquisadores e entidades de saúde são unânimes em aconselhar: com cuidado e calma, os danos podem ser minimizados.

Continuar lendo