13 mitos e verdades sobre amamentação que você precisa conhecer

mitos e verdades sobre amamentação

A amamentação costuma ser um momento bastante idealizado pelas mães e não é para menos: dar de mamar é um ato especial de conexão, além de ser super importante para a saúde do bebê e também da mamãe. Acontece que nem sempre o processo de amamentar é tão simples quanto as revistas e a televisão geralmente mostram.

Além das dificuldades iniciais – como os cuidados com os seios, a posição correta do bebê e os horários meio malucos -, existe uma série de mitos e verdades que rondam o aleitamento materno. 

Nesse sentido, aproveitamos a chegada da Semana Mundial da Amamentação, celebrada entre os dias 1º e 7 de agosto, para abordar algumas questões que podem auxiliar as mamães e seus bebês a passarem por essa experiência da melhor forma possível. ❤

mitos e verdades sobre aleitamento materno
AMAMENTAÇÃO: MITOS E VERDADES
1) Amamentar faz bem tanto para o bebê quanto para a mãe?

VERDADE – Além do alto valor nutritivo, o leite materno protege as crianças contra infecções, alergias, algumas doenças crônicas e cânceres infantis. Para a mãe, a amamentação reduz o peso mais rapidamente após o parto, ajuda o útero a recuperar o tamanho normal, diminui o risco de hemorragia e anemia e reduz o risco de diabetes e de desenvolver câncer de mama e ovário.

A amamentação é recomendada até os 2 anos de idade. Depois disso, mãe e bebê devem decidir se continuam ou não.

2) O leite materno pode ser fraco para nutrir o bebê?

MITO –  Não há leite materno fraco, a composição é semelhante para todas as mulheres que amamentam e por isso é o alimento ideal para o bebê.

3) É preciso dar os dois peitos a cada mamada?

MITO – Não é obrigatório, pois o esvaziamento da mama pode variar conforme a fome do bebê e do intervalo entre uma mamada e outra. Caso o bebê, em uma mamada, esvazie um seio e ainda tenha fome, a mãe pode oferecer a outra mama. Na próxima mamada recomenda-se que a mãe dê o seio que não foi oferecido na mamada anterior, ou ofereça o que o bebê mamou por último caso tenha sido ofertado os dois.

mitos e verdades sobre amamentação

4) O bebê pode ficar mal acostumado se não tiver horários para mamar?

MITO –  A orientação do Ministério da Saúde é a amamentação sob livre demanda, ou seja: mamadas frequentes, sem horário e duração pré-determinados. Nesse sistema o bebê deve mamar sempre que desejar.

5) Existem diversas posições que podem ser boas para amamentar?

VERDADE – O ideal é que a amamentação seja prazerosa tanto para o bebê quanto para a mãe, por isso a melhor posição é a aquela em que os dois estão confortáveis. No Blog da Saúde, do Ministério da Saúde, é possível encontrar algumas dicas de posições que costumam ser utilizadas na hora de amamentar, para conferir basta clicar aqui.

6) Seios muito pequenos não produzem leite na quantidade suficiente para o bebê?

MITO – O tamanho da mama não tem relação com a produção do leite. Tanto as mamas grandes quanto as pequenas possuem capacidade de produzir o mesmo volume de leite em um dia.

7) Os mamilos devem ser higienizados a cada vez que o bebê for mamar?

MITO – Não é necessário higienizar as mamas sempre que for amamentar, no entanto é importante que a mãe tenha hábitos de higiene adequados como banho diário, lavando a mama com água e sabonete, e esteja sempre com o sutiã limpo e seco. 

Não é recomendado o uso de absorventes de seios e nem a utilização de conchas protetoras, pois podem deixar as mamas úmidas, favorecendo a proliferação de fungos e bactérias. Em entrevista ao portal BebêMamãe, o pediatra Moisés Chencinski – membro da Sociedade de Pediatria de São Paulo – sugere que se tiver muito leite, a mãe pode colocar uma fralda de pano para secar e, cada vez que sentir que molhou, coloca outra fralda.

dúvidas sobre amamentação

8) Sentir dor ao amamentar, depois da primeira semana, não é normal?

VERDADE – No começo das mamadas é comum a mulher sentir dor discreta ou mesmo moderada nos mamilos. Essa dor pode ser considerada normal e não deve persistir além da primeira semana.

Depois disso, sentir os mamilos muito doloridos e machucados não é normal e requer aconselhamento de um profissional da saúde. Alguns dos problemas que as mulheres enfrentam, sobretudo no início da amamentação, são rachaduras no bico do peito e mastite, que é um processo inflamatório que ocorre nas glândulas mamárias.

9) Quem está com mastite deve parar de amamentar?

MITO – O esvaziamento adequado das mamas é importante no tratamento da mastite. Preferencialmente, a mama deve ser esvaziada pelo próprio bebê. Apesar da presença de bactérias no leite materno, quando há mastite, a amamentação está indicada por não oferecer riscos ao recém-nascido sadio. Se após a mamada não houve esvaziamento adequado, será necessário fazer a retirada manual do leite. Um banco de leite pode ajudar a realizar esse procedimento.  

Os casos mais graves, quando há secreção e pus, devem ser diagnosticados e tratados conforme indicação do profissional de saúde. Lembre-se que automedicação pode fazer mal à mãe e ao bebê.

10) Se a mãe tiver dificuldades de amamentar seu filho, o ideal é que o bebê mame no seio de outra mulher?

MITO – Não é recomendada a amamentação cruzada, que é quando o bebê mama em outra mãe. O perigo está em o bebê ser contaminado por uma doença infecto-contagiosa.

A primeira opção para a mulher que está com dificuldades de amamentar é buscar apoio junto a um profissional de saúde. Ela também poderá encontrar ajuda no hospital que teve seu bebê, em um BLH- Banco de Leite Humano (clique aqui para conferir os endereços) ou ainda em uma Unidade Básica de Saúde próxima a sua casa.

11) O leite do banco de leite pode não ser seguro?

MITO – A principal diferença entre o leite do Banco de Leite Humano para o leite doado diretamente por uma outra mãe é que no BLH ele é tratado e pasteurizado e, por isso, não há possibilidade de transmissão de doenças. 

A mãe não deve amamentar outra criança que não seja o seu filho. Mesmo se esta mãe estiver com os exames normais ou se teve uma gravidez tranquila, ela pode estar em uma janela imunológica para uma doença, e esse bebê correrá o risco de contrair alguma doença.

dúvidas sobre aleitamento materno

12) O leite materno pode ser congelado?

VERDADE – O leite materno pode ser congelado por até 15 dias, sem a perda de suas características e qualidade nutricional. A mãe pode ordenhar o leite na sua casa – tomando os devidos cuidados para manter a qualidade –, e deixá-lo na geladeira para os períodos em que estiver longe do bebê. 

Caso o leite não seja consumido, é possível doá-lo para um BLH. Além disso, o mesmo processo pode ser feito em um Banco de Leite Humano, onde o leite será coletado e processado para ser distribuído a outras crianças.

13) As fórmulas atuais são quase como o leite materno?

MITO – O leite materno é singular. O colostro que sai na primeira mamada pode considerado a primeira vacina do bebê. As fórmulas atuais têm suas qualidades, mas são feitas com leite de vaca, que não traz os benefícios do leite materno, como o aumento da imunidade. Por isso é importante que, havendo dificuldades em amamentar, a mulher recorra a um profissional da saúde.

CARTILHA DA AMAMENTAÇÃO ESCLARECE DÚVIDAS

A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano disponibiliza gratuitamente para download a Cartilha da Amamentação. Nela você pode conferir mais informações sobre o aleitamento materno e tirar suas dúvidas sobre alimentação, como continuar amamentando ao voltar a trabalhar e vários outros aspectos.

Por fim, tenha em mente que a maternidade é repleta de surpresas e de expectativas e que cada mamãe vai encontrar o seu jeitinho de fazer tudo funcionar. Dessa forma, se a amamentação não está saindo como planejado, lembre-se que essa é apenas uma das etapas dessa aventura linda que é  ser mãe. 🙂

Ah, se você já passou pelo processo de amamentar e quer ajudar outras mamães contando sua experiência, é só deixar seu relato nos comentários!


* Com informações de Blog da Saúde, IFF/Fiocruz e Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano.

2 comentários sobre “13 mitos e verdades sobre amamentação que você precisa conhecer

    • Olá, Denize, tudo bem? A Cartilha da Amamentação, disponibilizada pela Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, traz várias dicas sobre o assunto. Você pode acessar gratuitamente o material através do link: http://www.redeblh.fiocruz.br/media/cartilhasmam.pdf

      Aqui estão algumas das recomendações da cartilha sobre o que fazer para ter bastante leite: “Quando o bebê começa a mamar, quando nasce, ainda na sala de parto, a descida e a produção do leite são mais rápidas. Quanto mais o bebê mama, mais leite se produz. A produção do leite acontece quando o bebê suga. Para manter boa produção de leite, a mãe deve oferecer o peito ao bebê sempre que ele quiser e amamentar durante a noite. Descansar também ajuda. Para o bebê mamar mais, não dê a ele chás, água, sucos ou outro tipo de leite nos primeiros meses de vida.”

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s